NEWS.

NOTÍCIAS DA JAGUAR

Câmbio

Por trás do conforto e comodidade do câmbio automático Jaguar

“Quem dirige um carro automático não aceita voltar para o manual”. Essa afirmação é unânime entre quem experimenta o conforto e a praticidade desse tipo de câmbio. Mas o que faz desse recurso tão diferenciado? Bom, para responder isso, antes é preciso entender qual a função da transmissão automática.

Como funciona o câmbio automático Jaguar?

É ele que faz com que não seja necessário que o motorista troque a marcha sempre que alterar a velocidade, algo que acontece em carros com câmbio manual. Essa prática constante no ato de dirigir é um dos incômodos que quem enfrenta o trânsito das grandes cidades sente.

No câmbio automático existe um sistema de engrenagens planetárias com três componentes: a engrenagem coroa, a planetária e seu suporte e a engrenagem solar. A transmissão automática funciona hidraulicamente, usando um conversor de torque e essas engrenagens, que possuem tamanhos diferentes e estão sempre engatadas entre si. É isso que permite que a troca ocorra automaticamente, sem a interrupção da transmissão de potência do motor, ao contrário do câmbio manual, em que elas estão engatadas individualmente.

O câmbio automático conta ainda com um conjunto de embreagens internas, em banho de óleo, freios e dispositivos eletrônicos de controle. Esse tipo de câmbio não possui o pedal de embreagem, uma vez que o seu sistema de transmissão já identifica a mudança de velocidade e a rotação do motor e já troca a marcha. O câmbio é composto pelos pontos:

P – park (estacionado ou parado),
N – neutro ou ponto morto
R – ré
D – drive (dirigindo)


Com isso, dirigir fica muito mais fácil: basta ligar o carro, pisar no freio e ativar a marcha no ponto D. Já quando for estacionar, é preciso apenas pisar no freio e colocar o carro na posição “P”. Quando for dar ré, deve-se pisar no freio e colocar a marcha no ponto “R”. O carro parado deve ficar no “N”.

Como não precisa ficar a todo momento com o pé no pedal, o motorista fica menos tenso, o que ajuda, até mesmo, a reduzir acidentes. E há ainda outras vantagens, como um menor desgaste e prolongamento da vida mais útil do motor e dos itens de transmissão, como a caixa, eixos, diferencial e outros.

Os diferentes câmbios Jaguar

As relações de marchas desenvolvidas pela Jaguar Racing proporcionam um caminho mais suave e mais rápido da largada até alcançar a velocidade máxima. O I-TYPE, por exemplo, conta com uma caixa de câmbio leve de duas marchas sequenciais, acionadas por um paddle-shift.

Já o F-TYPE possui uma caixa de transferência na parte de trás da transmissão automática de 8 velocidades, para distribuir bem o torque para as rodas dianteiras e traseiras, assim como uma embreagem multidisco que é ativada eletromecanicamente para manter um comportamento dinâmico apropriado a um carro esportivo.

No caso do E-PACE, ele possui câmbio automático de 9 marchas. O modelo ele acelera de 0 a 100 km/h em 7 segundos, com velocidade máxima de 230 km/h. Ele possui ainda um pacote opcional que permite personalizar a velocidade do câmbio automático, assim como a resposta do acelerador.

Antes de chegarem ao mercado, os veículos passam por testes de ciclo de câmbio que impõem à embreagem uma série exaustiva de mudanças de alta velocidade e testes de estado estacionário.